Home / Animais / Foca Monge do Havaí Características

Foca Monge do Havaí Características

A foca monge do Havaí é um mamífero que pertence a mesma família do leão marinho e é a única foca adaptada a climas tropicais no mundo, seu nome científico é Monachus schauinslandi. Essa espécie de foca está presente nas águas do oceano Pacífico, especialmente em ilhas que possuem praias arenosas, como é a ilha do Havaí.

Essa espécie de foca pode chegar a  pesar até 275 quilos e medir 2,30 metros; ela geralmente vive por até 30 anos. Geralmente passa a vida no mar próximo a praia em que ela nasceu, mas algumas podem viajar por muitos quilômetros; nadando a uma velocidade média de 9km/h.

Já deu para perceber que essa é uma espécie com características especiais e vale estudá-la de forma mais aprofundada, neste artigo iremos apresentar alguns hábitos e características diversas sobre a foca monge do Havaí.

Classificação Científica

  • Reino: Animalia
  • Filo: Chordata
  • Classe: Mammalia
  • Ordem: Carnivora
  • Família: Phocidae
  • Género: Monachus
  • Espécie: Monachus schauinslandi

Características Físicas da Foca Monge

Como já dito anteriormente, a foca monge possui porte grande e pode chegar a medir mais de 2 metros e pesar quase 300 quilos; seu pelo é escuro por todo o dorso e causando um contraste, é branco na parte da barriga. É importante lembrar que a foca, por ser um mamífero, não tem capacidade de respirar dentro da água por mais de 12 minutos; portanto, por conta de suas características físicas ela precisa ir até a superfície para conseguir respirar.

Ela possui por todo o seu corpo uma camada de gordura interna, que serve para mantê-la aquecida na água (assim como as focas polares possuem) e por conta disso precisa adaptar a sua vida quando está sob o sol do clima tropical para evitar um superaquecimento. Ela tende a descansar na areia úmida próxima ao mar, deixando o abdômen exposto.

Alimentação da Foca Monge

Alimentação da Foca Monge
Alimentação da Foca Monge

A espécie se alimenta na maior parte do tempo de polvos, crustáceos, lulas e peixes diversos, sempre durante o período noturno. Para caçar, ela mergulha de 10 a 40 metros para conseguir capturar suas presas; além disso, ela também caça os congros, linguados e moréias que ficam escondidos nas fendas de corais.

Em algumas épocas excepcionais, ela pode atingir até 175 metros de profundidade para caçar; mas essa imersão pode levar até 20 minutos, o que dificulta -e muito a sua respiração.

Reprodução da Foca Monge

Reprodução da Foca Monge
Reprodução da Foca Monge

O acasalamento entre o macho e a fêmea ocorre na água, por conta da caça predatória que será explicada mais para frente, muitas crias dessa espécie morrem porque a fêmea grávida tenta se deslocar para praias remotas e mais seguras, porém, muitas vezes as condições ambientais não são como no seu habitat natural e os filhos acabam morrendo, o que dificulta a continuidade da espécie.

A foca monge atinge a maturidade sexual do seu 3° (fêmea) ao seu sexto 6° (macho) ano de vida e tem sempre apenas 1 filhote por vez (o que dificulta mais ainda a continuidade que já era difícil, como dissemos) que é amamentado até seu 4° mês de vida; ela se reproduz durante o período da primavera e seu período de gestação dura de 10 a 12 meses e os filhotes a partir dos 5 meses de idade já sabem nadar e mergulhar.

Curiosidades Sobre as Focas

Vamos ler algumas curiosidades e fatos sobre esse animal que é tão especial e possui algumas peculiaridades que não estão presentes na maioria dos animais!

  • As focas sempre se comunicam entre si emitindo sons graves;
  • Elas apenas se diferenciam do leão marinho fisicamente, já que não possuem membros superiores e nem orelhas;
  • Além do ser humano (que é o pior predador de todos), seus principais predadores são os tubarões, leões marinhos e também os ursos polares às vezes;
  • Originalmente as focas eram animais terrestres, porém de tanto ficarem na água acabaram desenvolvendo nadadeiras e não conseguiam mais andar por conta da dificuldade.

A Foca Monge Assassina (KE18)

Pode parecer uma notícia inusitada mas é verdade; uma foca monge que pesava 400kg e tinha 9 anos de idade foi colocada em quarentena em Honolulu, Havaí pela guarda costeira americana. Ela foi “acusada” de matar outras 2 focas da mesma espécie e agredir mais 11 animais (especialmente filhotes separados das mães), também da mesma espécie.

A Foca Monge Assassina (KE18)
A Foca Monge Assassina (KE18)

Por ser considerada uma grande ameaça para a sobrevivência da espécie, foi levada para a capital do Havaí e agora está em um aquário da Noaa (Administração Oceânica e Atmosférica dos EUA, em português) isolada dos outros animais de sua espécie; a situação foi considerada desanimadora pela instituição, já que eles trabalham principalmente para preservar essa espécie.

Risco de Extinção

A situação da foca monge do Havaí é extremamente preocupante para as autoridades ecológicas dos Estados Unidos, e acima de tudo, para a diversidade da fauna das ilhas norte americanas. Ela é uma das criaturas marinhas em situação mais alarmante de extinção e a causa principal dessa ameaça é, como na maioria das vezes, a caça predatória.

A pele da foca tem um valor muito alto no mercado ilegal, já que por meio dela é possível fazer roupas, sapatos, acessórios e lubrificantes para barcos (quando elas estão em forma de óleo). Por conta disso, a caça predatória é constante nas áreas em que essas focas são encontradas, mesmo sendo proibido por lei.

Hoje em dia existem apenas 1000 exemplares vivos e a população reduz em 5% a cada ano, pescadores matam colônias inteiras de focas, deixando impossível a continuação da espécie. Existem muitas organizações responsáveis por preservar as áreas em que a foca monge vive, já que outra espécie de foca parecida (foca monge das Caraíbas) acabou sendo extinta pelas mesmas razões, e agora não há mais nada a ser feito.

Porém, os pescadores não respeitam os limites impostos pelas leis e continuam caçando a espécie pensando apenas no retorno financeiro. A foca monge provavelmente será extinta nos próximos anos, principalmente -e gritantemente pela caça predatória, as também pelo acúmulo de lixo nos mares.
Portanto, das duas formas o ser humano é o principal culpado da extinção dessa espécie tão bela e curiosa.
 
Quer saber mais sobre outros animais maravilhosos que estão em risco de extinção por conta da ação humana? Leia também: Aves em Extinção no Pantanal

Veja também

Vulcão Popocatépetl em Erupção

Imagens de Vulcão Em Erupção

Japão, Indonésia, Islândia, México, Chile e Estados Unidos: é para esses países que os vulcanólogos …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *