Home / Animais / Corujas Megascops Asio

Corujas Megascops Asio

As corujas Megascops Asio também são popularmente conhecidas como corujinhas-do-mato oriental.

Não confundir com as nossas conhecidas corujinhas-do-mato (a Megascops Choliba), que sobrevoam os céus da América Central e do Sul – especialmente em trechos a partir da Costa Rica e do Panamá; até descerem ao continente sul-americano, em países como Brasil, Colômbia, Equador, Bolívia, Argentina, Uruguai, entre outros.

As corujinhas-do-mato oriental ou Megascops asio são espécies típicas do lado leste (oriental) da América do Norte; bastante comuns nos territórios de Oklahoma, Carolina do Norte, Carolina do Sul, Massachusetts, Rhode Island, Connecticut, Geórgia, etc. Mas também no Canadá e México, onde sobrevoam ambientes essencialmente arbóreos.

Principais características da coruja Megascops Asio

A Megascops asio não está entre as strigiformes com o maior tamanho na natureza. Um adulto, por exemplo, costuma medir entre 15 e 25 cm, apesar de chegar a medir de uma asa a outra até 60cm.

Já o seu peso, de certa forma, chama a atenção, já que a maioria das Megascops asio pode pesar até 250g, sendo que o mais comum é que elas apresentem-se com uma estrutura entre 120 e 245g.

Essa espécie possui uma coloração entre o castanho e o cinza-escuro (repleta de frisos pretos ou cor de chumbo), além de um crânio relativamente grande e arredondado (como é comum entre as corujas) e sensivelmente desproporcional ao restante do corpo.

Elas também possuem orelhas que se projetam para fora (com bastante plumagem), olhos amarelados, bicos e garras em forma de gancho, uma calda relativamente longa, pés da mesma forma compridos – e sempre com a característica de uma densa plumagem a cobri-las por completo.

Habitat

Como vimos, as corujas Megascops asio são naturais dos céus do leste da América do Norte, onde podem encontrar florestas não tão densas, parques urbanos, florestas caducifólias (que perdem as suas folhas),  matas ciliares, vegetações às margens de rios, lagos e demais áreas úmidas, além de campos e imensas pradarias.

Uma característica bastante peculiar nessas espécies, é o fato de adaptarem-se relativamente bem ao progresso e às transformações urbanas, a ponto de poderem ser avistadas ao longo de rodovias, em postes de fiações elétricas, parques urbanos, bosques abertos, árvores urbanas, lavouras, entre outros ecossistemas semelhantes.

Corujas Megascops Asio Dentro da Árvore
Corujas Megascops Asio Dentro da Árvore

Como não poderia deixar de ser, a sua alimentação também é bastante influenciada por essa proximidade com o homem, que as faz terem que adaptar-se a diversos tipos de insetos, como: besouros, cigarras, lacraias e escorpiões; e até mesmo pequenas outras aves e roedores podem satisfazer as suas necessidades em tempos de crise.

Em seu habitat natural, as corujas Megascops asio preferem grandes alturas, em regiões entre 1300 e 1500 m acima do nível do mar – como as das Rochosas Canadenses, por exemplo; ou dos estados a leste dos Estados Unidos; ou mesmo da vertiginosa cadeia de montanhas do nordeste mexicano: a Sierra Madre Oriental, com os seus mais de 1000 km.

Algumas Características das Corujas Megascops Asio

Características das Corujas Megascops Asio
Características das Corujas Megascops Asio

As Megascops asio, como a maioria dessas espécies, possuem o hábito de se recolherem durante o dia, quando permanecem camufladas, de forma impressionante, em escavações de grandes árvores – na verdade, para muitos, é um jogo bastante divertido tentar identificar uma Megascops asio, assim, camuflada.

Já a noite, é o momento escolhido por ela para dar o “ar de sua graça”, ao sobrevoar, misteriosa, as extensas lavouras da América do Norte, os bosques, prados e campos do Canadá. Ou mesmo cortar os céus sobre as florestas abertas do México – sempre carregando, atrás de si, aquele ar de mistério e a impressão de mau agouro ou azar.

Por meio de voos rasantes e certeiros, elas deslocam-se, silenciosas, do toco das árvores onde geralmente acomodam-se à noite (sem mais qualquer preocupação em serem vistas) em direção a uma presa, a quem só resta mesmo submeter-se à incrível habilidade que essa espécie possui como predadora.

O restante da noite é invadido pelo seu canto característico, apelidado de “canto fúnebre e solene”, que pode ser para fins de acasalamento, ou mesmo por motivos muito mais misteriosos e secretos, que só mesmo os mais supersticiosos são capazes de decifrar.

Essa é a rotina da singular coruja Meagscops asio ou, para os que comungam da sua intimidade, da “corujinha-do-mato oriental”. Uma espécie das mais singulares da fauna silvestre, e que possui características que a tornam bastante singular no ambiente selvagem.

Como Alimentam-se as Corujas Megascops Asio?

Megascops Asio no Cativeiro
Megascops Asio no Cativeiro

De acordo com os estudiosos dessa espécie, a técnica de caça da Megascops asio pode muito bem ser comparada à dos mais ágeis e implacáveis felinos que ajudam a compor essa paisagem do ambiente silvestre. Tanto é assim, que em algumas regiões dos Estados Unidos elas possuem o sugestivo apelido de “gatos selvagens emplumados”.

Como já se sabe, é à noite que elas saem para a caça, como típicas predadoras oportunistas e solitárias, que preferem aproveitar-se da aproximação da vítima do seu raio de alcance.

Aos primeiros sinais do cair da noite começa a aventura da caça para as Megascops! E, para isso, elas possuem duas armas poucas vezes encontradas em outras espécies na natureza: uma visão e audição incomparáveis.

Esse último sentido, por exemplo, chega a ser comparado a um microfone, já que a torna capaz de transformar os sons percebidos em sinais elétricos, enquanto a fazem captar – até com maior eficiência – os mais insignificantes ruídos, graças à sua capacidade de perceber as frequências ali existentes.

Megascops Asio Espreitando Entre as Folhas
Megascops Asio Espreitando Entre as Folhas

Do toco onde permanecem, elas partem, decididas, assim que avistam as suas presas – geralmente encontradas em florestas abertas, campos, prados, matas ciliares, zonas úmidas, bordas de florestas, extensas planícies, lavouras, entre outras vegetações semelhantes.

E quando atacadas, as vítimas não conseguem opor-lhes a menor resistência – elas simplesmente são engolidas por inteiro ou levadas até alguma toca ou buraco de árvores, onde são preparadas ao seu gosto.

Mas outros fatores contribuem para tal habilidade como caçadoras, entre eles, a forma assimétrica como são dispostas as suas orelhas (permitindo-a captar de diferentes formas os sons recebidos) e a constituição anatômica singular das suas asas (que tornam o seu voo tão silencioso quanto eficiente).

Caso queira acrescentar algo a esse artigo, fique à vontade para fazê-lo em forma de um comentário, logo abaixo. E não deixe de compartilhar, discutir, refletir, questionar e aproveitar as nossas publicações.

Veja também

Animais em Extinção no Brasil

É fato que o Brasil muitas vezes é reconhecido no exterior por possuir a maior …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *