Home / Animais / Como Criar Minhocas Minhocuçu?

Como Criar Minhocas Minhocuçu?

Você já Ouviu Falar do Minhocuçu?

O minhocuçu (nome científico Rhinodrilus alatus) é um oliqueto extremamente importante para a agricultura devido à grande produção de húmus, que frequentemente é de coloração avermelhada ou preta.

O minhocuçu é muito comum em áreas de cerrado brasileiro, isto é no bioma caracterizado por gramíneas, árvores baixas e arbustos espaçados. Outro local de grande prevalência do animal, são as plantações, ou pastagens, destacando aqui áreas de plantação de eucalipto.

Neste artigo, você conhecerá características básicas do minhocuçu e algumas dicas sobre como cria-lo.

Então, venha conosco e boa leitura.

Características do Minhocuçu

O comprimento do minhocuçu é extenso. Ele pode ultrapassar os 60 cm de extensão, e presentar um diâmetro de até 1,5 cm.

Mesmo com esse comprimento, ele não se estabelece em grandes profundidades. Ao contrário, ele fica muito próximo à superfície, em geral próximo às raízes das gramíneas.

Características Relacionadas à Sazonalidade

Padrões comportamentais como o acasalamento e a hibernação estão diretamente relacionados à época do ano.

Entre Outubro e Fevereiro ocorre a estação chuvosa no estado de Minas Gerais ( considerado uma área de grande incidência do Minhocuçu). A estação chuvosa é o período de acasalamento do animal.

Após o acasalamento, o minhocuçu deposita os seus casulos no solo. Em cada casulo, há uma média de dois a três filhotes.

Entre os meses de Março a Setembro, ocorre o período de hibernação, no qual o minhocuçu fica em uma câmara subterrânea abaixo do solo, a um nível de 20 a 40 centímetros.

No período de hibernação, intensifica-se a captura do animal, por meio do uso de enxadas e instrumental agrícola.

Cenário de Comercialização Ilegal do Minhocuçu

O minhocuçu tem sido amplamente empregado no estado de Minas Gerais como isca para atrair peixes, principalmente peixes da espécie Surubim.

O peixe Surubim pode alcançar quase dois metros de comprimento e pesar 80 quilos. É de grande interesse comercial, principalmente em decorrência do seu sabor agradável, consistência firme e ausência de espinhos intramusculares.

O peixe Surubim é considerado o maior peixe predador da Bacia de São Francisco. O Rio São Francisco passa por 5 estados e 521 municípios, com nascente histórica localizada no município de São Roque (mais precisamente na Serra da Canastra), centro-oeste de Minas Gerais.

Comprar Minhocuçu
Comprar Minhocuçu

No entanto, a atividade de captura do minhocuçu não está sendo realizada de maneira sustentável, contribuindo para que o animal esteja em risco de extinção.

Desde 1930, em Minas Gerais, muitos vendedores ambulantes extraem o minhocuçu e o vendem para pescadores amadores. Este processo de extração ocorre com muita frequência no entorno das cidades de Caetanópolis, Curvelo e Paraopeba.

É muito frequente observar a venda do minhocuçu na estrada que liga Belo Horizonte ao circuito de Três Marias.

No entanto, apesar da extração predatória, não seria viável proibir radicalmente a venda do animal, uma vez que existem famílias e comunidades dependentes economicamente desta comercialização.

Um grande ponto negativo referente à extração predatória é a invasão de propriedades com a finalidade de comercialização. O que gera muitos conflitos agrários. Aliado à isso, também ocorre a criação e acondicionamento de minhocuçus de forma irregular. Entende-se que a proibição radical apenas intensificaria o cenário conflituoso.

Uma estratégia para aliviar este problema seria adotar estratégias de manejo adaptativo, dentre elas, estabelecer necessidade de autorização do IBAMA para criação o animal, além da proibição de coleta do animal durante o período reprodutivo, e proibição da coleta de filhotes. As áreas de retiradas precisariam ser intercaladas através de um sistema de rodízio.

Inclusive, algumas dessas medidas já foram devidamente aplicadas, em parceria com as comunidades locais. Muitos minhoqueiros (locais de criação e hábitat dos minhocuçus) foram regularizados.

Desde o ano de 2014, cientistas da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG) vêm trabalhando sobre a conscientização sobre a extração e monitorando os impactos que as mudanças climáticas provocam no padrão comportamental do minhocuçu.

Como Criar Minhocas Minhocuçu

Além de economizar dinheiro, retirando a necessidade de comprar minhocuçu, a prática da criação para uso particular ainda é um pouco mais aceita do que a compra comercial.

Quem se dedica à pescaria pode ter necessidade de produzir as suas próprias iscas e, consequentemente melhorar a saúde o solo e torná-lo mais apto ao plantio. No entanto, é viável consultar órgãos de proteção ambiental, antes de iniciar a criação de minhocuçus por conta própria.

O ideal é estar respaldado por meio de uma autorização legal.

Confira Abaixo o Passo-a-Passo de Como Criar Minhocas Minhocuçu:

Restrinja a área de criação das minhocas, em outras palavras construa um minhocário.

O ideal é que ele meça, no mínimo 60 centímetros de comprimento, podendo ter uma largura compreendida entre 1 a 2 metros para minhocas comuns. No entanto, para minhocuçus, estas dimensões são ainda maiores.

O minhocário pode ser construído dentro ou fora de casa, dependendo do clima do local em que esteja. Lembrando que em climas frios, ele deve ficar ao nível do solo, em um local sombreado.

Caso more em um local que tenha outros animais silvestres ou animais domésticos, o ideal é cobrir este minhocário com uma tela de arame.

O material mais aconselhável para a construção deste minhocário é a madeira. No entanto, outras alternativas envolvem o uso de blocos de concreto ou telas de arame. Os blocos de concreto devem ser mantidos em um local fixo, e ao ar livre. As telas de arame precisam ser revestidas na lateral com aniagem, de modo a impedir a fuga das minhocas.

Quem não pretende confeccionar um minhocário, pode criar minhocas em um cooler de espuma feito de poliestireno.

O minhocário deve ser enchido até a metade com musgo, de modo a proteger as minhocas da incidência de luz solar. Estes musgos devem ser regados com regularidade, para que permaneçam úmidos. No entanto, a água não deve ser aplicada em excesso, de modo que as minhocas não se afoguem.

A temperatura do solo do minhocário deve estar em torno de 5 a 10 °C. Em solos muito frios, os minhocuçus rastejam para fora e, em solos muitos quentes, morrem no local.

Além da temperatura, é necessário uma boa oxigenação do minhocário. Além do aporte de nutrientes, que pode ser favorecido por meio da adição de grãos de aveia, aduba e café no local. Outra estratégia é referente à adição de folhas úmidas. Aconselha-se adicionar 454 gramas de material composto para cada meio quilo de minhoca.

A cada 6 meses ou uma vez ao ano, aconselha-se substituir metade do solo do minhocário.

Agora, que você já conhece um pouco mais sobre o minhocuçu, suas características, cenário de exploração predatória e dicas para criação doméstica, continue conosco e conheça outros artigos do site.

Até as próximas leituras.

REFERÊNCIAS

CRUZ, L. Projeto Minhocuçu: esforços para conservação e uso sustentável. Disponível em: <http://minasfazciencia.com.br/infantil/2018/04/18/projeto-minhocucu-esforcos-para-conservacao-e-uso-sustentavel/>;

DRUMOND, M. A. et. al. Ciclo de vida do minhocuçu Rhinodrilus alatus, Righ, 1971;

WIKIHOW. Como criar minhocas para pesca. Disponível em: <https://pt.wikihow.com/Criar-Minhocas-para-Pesca>.

Veja também

Queimadura de Piolho de Cobra

A Lei da Selva Desde de que a vida surgiu no planeta Terra, há 3,5 …

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *