Home / Animais / Cobra Preta e Branca Dormideira

Cobra Preta e Branca Dormideira

No artigo de hoje, falarei sobre um assunto que muitas pessoas têm pavor, assim como outras, amam. Falarei sobre cobras, mas não todas, apenas de uma em específico, a cobra preta e branca dormideira, ou como ela pode ser mais conhecida, jararaquinha dormideira.

Na natureza existem diversos tipos de cobras, que são divididas em dois grupos basicamente, as cobras venenosas, como é o caso da cobra-d’água, e as não-venenosas, como a cascavel ou mesmo a jararaca.

Falando um Pouco Sobre as Cobras

As cobras são répteis com corpo alongado e bastante flexível, coberto de escamas e não possuem patas.

Com frequência, as cobras mudam de pele, passando pelo processo de ecdise, isso ocorre com a finalidade de eliminar parasitas externos e também devido ao seu crescimento. Esta pele que as cobras possuem, são escamas queratinizadas, que cobrem todo o corpo do animal por completo, incluindo os olhos, de forma a dar maior proteção e evitando o ressecamento. Devido a queratina existente na camada externa das escamas, elas são rígidas. Desta forma, quando o animal cresce, ele necessita realizar a troca da pele de forma que existe uma fina película que acompanha este crescimento por baixo da camada externa. Quando é a hora de trocar de pele, as cobras abandonam a camada mais externa, mantendo a nova.

Cobra Trocando de Pele
Cobra Trocando de Pele

Com a sua língua bifurcada, as cobras captam odores no ar, de forma a encontrar os odores que lhes são atrativos, que pode ser uma possível presa. O processo de captura da presa depende da espécie de cobra, onde umas utilizam o veneno (um exemplo é a cascavel) e outras utilizam o processo de constrição (um exemplo é a Jiboia). Elas não são capazes de mastigar, e por isso, engolem as suas presas inteiras. O processo é facilitado pela mandíbula flexível que as cobras possuem, sendo permitido engolir presas 3 vezes maiores que seu próprio diâmetro.

Fotógrafo Registra Cobra Engolindo Lagarto Perto de Sambódromo no Interior de SP
Fotógrafo Registra Cobra Engolindo Lagarto Perto de Sambódromo no Interior de SP

Normalmente, as cobras vivem em campos e matas, camuflando-se entre folhagens devido a sua coloração e aos desenhos de sua pele, mas podendo também se esconder em arvores. A preferência desses animais é por lugares secos e elas geralmente dormem durante o dia.

Dependendo do tipo de cobra, elas podem preferir mais por caçar a noite, podendo se alimentar de roedores, lagartos, aves, etc. Elas são animais ovíparos e podem ter uma ninhada que pode chegar a 50 filhotes. Claro que devido a grande quantidade de espécies de cobras, nem todas enquadram-se nessas informações gerais.

Uma Víbora Chocando Seus Ovos
Uma Víbora Chocando Seus Ovos

Outro fato importante com relação as cobras, é com relação a sua visão. Sendo mais especifico aqui, as cobras enxergam pouco, até mesmo pelo fato de seus hábitos serem noturnos. De certa forma, podemos dizer que as cobras são míopes, que seria uma deficiência na obtenção de uma imagem focada e que é causada pelo cristalino, um tipo de lente gelatinosa presente nos olhos de todos os vertebrados. A diferença existente no cristalino das cobras é que ele é mais esférico e rígido, não havendo uma acomodação melhor para definir com precisão o contorno das imagens.

Visão das Cobras
Visão das Cobras

Elas também não são muito boas em ouvir, sendo praticamente surdas, devido a isso não são capazes de ouvir os sons, mas em contrapartida, elas sentem as vibrações físicas como é o caso de passos. Elas mantem a sua a mandíbula constantemente em contato com o solo ou sobre seu corpo, isso porquê a vibração que ela capta, precisa atingir a mandíbula para que ela vibre e com isso, seja estimulado o osso que une a base da mandíbula à sua caixa craniana.

Cobra Preta e Branca Dormideira

A cobra preta e branca dormideira, também conhecida como jararaquinha dormideira ou ainda conhecida também por cobra papa-lesma, é na verdade uma espécie que tenta imitar uma jararaca, o que não consegue! O Nome Jararaca é atribuído a serpentes do gênero Bothrops, as quais são famosas por causarem graves acidentes a humanos. Essa espécie, é ovípara e seu tamanho pode variar de 30 a 60 cm.

Infelizmente, pela falta de conhecimento sobre esta espécie da natureza, muitas pessoas matam até pelo medo que possuem de serem feridas por estes animais, afetando assim a população dessas serpentes e consequentemente havendo perda de material genético que é indispensável para que a população desses animais possa manter a manutenção biológica no espaço e no tempo. Elas são importantes para o equilíbrio do ecossistema, assim como outros animais.

É possível identificar as dormideiras principalmente pela sua coloração. Normalmente, estas cobras são confundidas com serpentes realmente perigosas, porém, esse tipo de cobra é extremamente inofensivo, elas são dóceis, não são peçonhentas e ainda por cima, elas se alimentam apenas de lesmas.

Essa é apenas uma das diferenças que existe entre as cobras dormideiras e as jararacas, de forma que mostrarei a vocês as diferenças de fácil visualização que são as manchas e a fosseta loreal.

Sobre as manchas – estas são negras ao longo de todo o corpo formando retângulos nas dormideiras, enquanto que nas jararacas podem variar em formas de “V” a formas de “U” ou mesmo se assemelhando a um “gancho de telefone”.

Fosseta Loreal – este é um órgão termo receptor, que fica localizado entre os olhos e as narinas do animal, sendo este presente nas Jararacas. Nas cobras preta e branca dormideiras este órgão não existe!

Como uma espécie de defesa, essas cobras liberam descargas cloacais, que são fezes com um odor muito forte a base de lesmas… ao manusear uma cobra dessa espécie esse será o perigo máximo que pode lhe ocorrer. 😊

Se você algum dia avistar nas proximidades de sua casa uma cobra dessas, fique tranquilo, ela está apenas removendo as lesmas que existem na área. 😉 De qualquer forma, não é aconselhável manusear cobras sem que haja o devido conhecimento.

Resumo

Neste artigo, procurei mostrar um pouco sobre uma espécie de cobra não tão conhecida e que normalmente pode ser confundida com uma cobra venenosa. É preciso que deixemos os animais sobreviver e realizar as suas “atividades” impostas pelo ecossistema, só dessa forma que teremos um equilíbrio bem estabelecido na natureza. Espero que tenha sido útil este artigo para você, e nos vemos no próximo!

Veja também

Animais em Extinção no Brasil

É fato que o Brasil muitas vezes é reconhecido no exterior por possuir a maior …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *