Home / Animais / Cobra Dormideira Nome Científico

Cobra Dormideira Nome Científico

Quais as Origens do Nome Científico da Cobra Dormideira?

O nome científico da Cobra Dormideira é Sibynomorphus mikanii. Esse nome é uma homenagem ao doutor em medicina, formado na Universidade de Praga (1793), Johann Christian Mikan.

O professor, nascido em 1769 na então República Tcheca, tem uma história de alguma maneira ligada ao Brasil. Mas ela começou mesmo foi no final do séc. XVIII, quando começou a dedicar-se ao estudo zoológico dos insetos (insectologia), tecnicamente chamada de “entomologia endobotânica”.

A partir de então, um espírito empreendedor e curioso logo o fez tornar-se professor de botânica (ainda na Universidade de Praga) e professor de história natural (posteriormente), até que, em 1811, dá início a um desafiador projeto.

Cobra Dormideira na Mão de um Homem
Cobra Dormideira na Mão de um Homem

Esse projeto consistia em uma série de viagens pelas regiões das Espanha, Ilhas Baleares (então território espanhol) e Malta, a fim de realizar investigações acerca da vida biológica nessa região.

Já em 1817, o professor decide que precisava de um pouco mais de emoção, e como líder de uma equipe científica, desembarca no Rio de janeiro em companhia do seu auxiliar Johann Baptist Emanuel Pohl.

Juntos fizeram incursões curiosíssimas por regiões do Rio de janeiro e São Paulo, recolhendo amostras, realizando análises, tirando conclusões, entre uma picada ou outra de mosquitos, resvalando entre quaresmeiras, ipês e jequitibás, até concluir um importante trabalho, que hoje ajuda a compor o acervo do Museu de História Natural de Viena.

Hoje, a cobra dormideira possui um nome científico em sua homenagem, pelo seu dedicado estudo sobre as mais variadas espécies da flora e fauna brasileiras, que resultou, em 1820, nos não menos importantes, Faunae Brasiliensis e Delectus Florae, onde descreve as inúmeras espécies, até então desconhecidas, que descobriu.

A Cobra Dormideira

A cobra dormideira ou Sibynomorphus mikanii (nome científico) é uma espécie de parente próxima da jararacuçu. No entanto, o seu potencial de agressividade está longe, muitíssimo longe, daquela.

Na verdade, a dormideira não possui veneno algum. Como o seu apelido indica, ela é totalmente inofensiva e com hábitos noturnos — características típicas dessa espécie.

Ela pode ser encontrada facilmente em regiões com trechos de Mata Atlântica, no Cerrado de Minas Gerais, nos pampas gaúchos, pantanal Mato-Grossense, e ainda em regiões do Paraná, Goiás, Bahia, Argentina, Uruguai, Paraguai, entre outras regiões.

A dieta das dormideira é típica de uma espécie malacófaga. Isso que dizer que, para elas, lesmas, moluscos, minhocas, entre outras espécies semelhantes, são muito bem vindas.

Lesmas Fazem Parte da Dieta da Cobra Dormideira
Lesmas Fazem Parte da Dieta da Cobra Dormideira

Caso queira deparar-se com um exemplar desses, as hortas, lavouras e jardins devem ser o local escolhido. Nesses lugares, ela funciona como uma excelente ferramenta de controle de pragas, apesar de não ter essa sua característica tão valorizada como deveria.

Elas geralmente possuem entre 20 e 40cm; são brancas e marrons, com algumas partes pretas; são ovíparas e costumam gestar os seus ovos por volta de 3 meses, para, logo após, chocar de 4 a 9 ovos de uma só vez durante o verão.

A Sibynomorphus mikanii ou cobra dormideira é uma serpente típica de ambientes urbanos: jardins, bosques, alamedas, hortas, entre outras locais semelhantes, que lhes ofereçam a comodidade de uma boa refeição e a proteção contra os temíveis predadores do ambiente selvagem.

Enfim, uma espécie dócil, inofensiva, não-peçonhenta, com hábitos noturnos, afeita a uma dieta à base de lesmas, moluscos e minhocas. E que, por isso mesmo, convive bem com os humanos, até mesmo com crianças, que as manipulam como forma de incentivo ao contato com esse tipo de animal.

Curiosidades Sobre a cobra Dormideira

Que a cobra dormideira é uma cobra inofensiva, já podemos considerar como algo fora de questão. Mas, como todo o ser vivo que precisa, necessariamente, encampar uma luta diária pela sobrevivência, ela também possui os seus recursos, digamos, bastante originais para defender-se de um perigo.

É muto comum, por exemplo, que ao sentir-se ameaçada, ela imediatamente dilate as suas mandíbulas, e adquira, com isso, um outro formato para a sua cabeça, que passa a ter uma forma triangular, para impor mais respeito e dar a impressão ao invasor de que está lidando com um ser bem maior do que realmente é.

Mas ela também pode utilizar outros recursos, como dar um pequeno bote; imobilizar-se sob as ramagens; praticamente diminuir de tamanho, ao encolher-se sob o próprio corpo; expelir determinadas substâncias (inclusive as suas fezes), como forma de afugentar o invasor, entre outras tentativas desesperadas de safar-se de um perigo.

A dormideira possui o seu nome científico devidamente registrado no rol de mais de 390 espécies de serpentes que compõem a fauna de ofídios brasileira.

Uma fauna que é considerada uma das mais ricas e exuberantes do mundo, pois junta-se às mais de 770 espécies de répteis, em um patrimônio devidamente registrado e catalogado.

Características Biológicas

Além da Sibynomorphus mikanii (nome científico da cobra dormideira), outras espécies compõem o chamado gênero Sibynomorphus.

São elas: Sibynomorphus lavillai Scrochi, Sibynomorphus neuwiedi, Sibynomorphus turgidus Cope e Sibynomorphus ventrimaculatus.

Na verdade, o gênero Sibynomorphus representa a característica de ser uma espécie própria da América do Sul, podendo ser encontrada em países como Argentina, Uruguai, Paraguai e , obviamente, Brasil.

A sua característica de ser um animal extremamente dócil condiz bem com as suas técnicas para a obtenção de alimentos.

Como não possuem veneno, apresentam uma dentição áglifa (sem canalículos nas presas para a inoculação de veneno), não utilizam a técnica da contrição (esmagamento das presas com a força dos seus músculos), entre outras características, a sua alimentação consiste, basicamente, de moluscos e lesmas que não ofereçam qualquer resistência.

Essa espécie também apresenta dimorfismo sexual, ou seja, os machos são relativamente maiores do que as fêmeas, no que diz respeito ao seu comprimento, peso, tamanho da cabeça e da cauda, números de escamas, entre outras características.

Também podem ser encontradas em várias regiões do país com o nome de “jararaquinha-de-jardim”, “falsa jararaca”, “urutuzinho pequeno”, etc.

Sibynomorphus mikanii ao Lado de Uma Moeda
Sibynomorphus Mikanii ao Lado de Uma Moeda

Enfim, apesar das várias denominações existentes, o nome científico Sibynomorphus mkanii, indica que as cobras dormideiras são espécies típicas da América do Sul.

Além disso, possuem o temperamento dócil e inofensivo. Não possuem veneno, alimentam-se, basicamente, de lesmas e moluscos (sem conchas). E vivem, preferencialmente, em hortas, jardins, lavouras e pastagens; em uma típica convivência antrópica (junto ao homem), sem qualquer tipo de choque resultante dessa interação.

Diga o que achou desse artigo, por meio de um comentário. E aguardem as próximas publicações do blog.

Veja também

Como Eliminar Escorpiões? Armadilhas Para Escorpiões

Habitantes de desertos, savanas ou florestas, às vezes até hospedeiros de nossas casas, símbolos mitológicos …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *